Os indígenas Baré na quarentena

Queridos amigos e parceiros da Braziliando, esperamos que vocês e seus entes queridos estejam bem. Muitos de vocês vêm nos perguntando como está a situação dos nossos parceiros indígenas Baré na quarentena e estamos aqui para dar notícias! 

A Suspensão das Viagens da Braziliando

Desde o início dessa pandemia, temos estado em contato com os representantes da aldeia e, mesmo antes do anúncio das novas medidas de contenção do coronavírus no Brasil, preferimos suspender nossas atividades. Na Braziliando, buscamos promover transformações positivas através de experiências de viagem autênticas e responsáveis e não queremos colocar ninguém em risco de contaminação, nem os viajantes nem a comunidade indígena.

Ainda que os Baré sejam um povo forte e corajoso 💪, não é menos verdade que certas doenças, como o Covid-19, podem deixar os indígenas mais vulneráveis, especialmente quando os hospitais mais próximos, os de Manaus, estão distantes e atualmente superlotados. Então, já há algum tempo, pausamos nossa experiência de turismo sustentável na Amazônia, esperando retomar em breve nossas imersões na querida floresta amazônica.

Viajante Amanda na comunidade Nova Esperança

Os Desafios da Comunidade na Quarentena

Foi um alívio ouvir do José, o cacique e líder comunitário, que ninguém na comunidade foi afetado pela doença. Felizmente, eles estão tomando muitas precauções e buscando respeitar as medidas de contenção do Covid-19.

Na floresta, onde a vida comunitária é essencial, o confinamento é bastante desafiador. José compartilhou que a vida dos indígenas Baré na quarentena mudou: eles que costumavam viver juntos, brincar juntos, trabalhar juntos, estão tendo dificuldade de manter essa união com o isolamento social.

Embora seja possível sobreviver da caça e da pesca, Joarlison, filho do José e vice-líder da comunidade, compartilhou que alguns alimentos e produtos de higiene básicos, como pasta de dente, sabão, arroz, feijão e leite, estão em falta. 

Além disso, os habitantes temem por sua saúde uma vez que a campanha de vacinação organizada com o auxílio do governo foi suspensa. Eles compartilharam também que os médicos que costumavam comparecer uma vez por mês não estão mais visitando a comunidade e distribuindo medicamentos.

Contudo, um dos maiores desafios para indígenas Baré na quarentena talvez seja a situação econômica. O Turismo de Base Comunitária (TBC) e a venda de artesanatos, que colocaram em prática uma alternativa de atividade sustentável nas aldeias amazônicas, cessaram e as famílias não estão tendo meios de complementarem a renda.

Entrada da comunidade na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Puranga-Conquista.

Vamos Juntos Co-criar o Futuro?!

A Braziliando vem buscando formas de se reinventar nesse período de crise e de continuar apoiando a comunidade, especialmente através da geração de renda e da valorização cultural. Seguimos em constante contato com os comunitários e potenciais parceiros, buscando novas soluções, e estamos com a mente pulsando com novas ideias!

Defendemos uma gestão inclusiva da crise e queremos te convidar a fazer parte da co-construção desse futuro, cheio de possibilidades! Vamos construir juntos um novo presente?! Compartilhe com a gente suas ideias e sugestões para mantermos a Braziliando e Nova Esperança florescendo! 🌸🌺 E com muita colaboração vamos sair mais fortes desse caos!

Esperamos que esses longos momentos de reflexão que nos estão sendo oferecidos com o isolamento social sejam uma oportunidade para formar mais viajantes conscientes. Desta forma, quando essa crise finalmente acabar e pudermos viajar em segurança novamente, poderemos voltar a promover essas imersões transformadoras e o turismo sustentável será novamente um caminho para a construção de um mundo mais justo e unido.

Estamos animadíssimas para receber suas idéias e sugestões para ajudar a Braziliando e nossos parceiros na comunidade indígena de Nova Esperança! Você pode compartilhá-las aqui nos comentários ou nos mandar por e-mail (discover@braziliando.com) ou através do nosso Instagram ou Facebook.

Se cuida! 💚

Com carinho, Braziliando.

Turismo na Amazônia: dicas para uma experiência mais ecológica e autêntica

Qual o melhor período para visitar a floresta? Quantos dias ficar na Amazônia? O que fazer na região? Onde se hospedar? Está cheio de dúvidas para planejar a viagem da sua vida? Fica tranquilo que criamos esse guia para quem quer conhecer a Amazônia autêntica e ver de perto todos os seus encantos da forma mais sustentável possível. Aqui vão algumas dicas que podem ser usadas como base para montar o roteiro da sua viagem. Vamos saber mais sobre Turismo na Amazônia?

Quando ir

Muitos chegam até nós com essa dúvida.

Em dezembro, começa a chover e o rio vai subindo gradativamente, inundando a floresta, por onde se pode navegar de canoa. Março está dentro do período de cheia dos rios e é uma época que costuma chover mais, mas é também um período em que os animais costumam estar mais ativos. De junho a agosto, o rio vai atingindo a sua máxima e é possível ver espelhos d’água como na foto abaixo. De setembro a novembro surgem as belas praias de rio. A verdade é que cada época tem sua magia e merece uma visita! 

O único mês que não é muito recomendado por nossos parceiros locais (os indígenas) quando se deseja chegar à aldeia de barco de linha é novembro, pois os rios costumam estar mais secos, dificultando o acesso.

Onde ficar

  • Comunidades ribeirinhas e indígenas: A melhor forma de conhecer a essência de um lugar é se hospedando com os próprios locais. E nada melhor do que conhecer a Amazônia com quem nasceu e cresceu na floresta, né?! O Turismo de Base Comunitária (TBC) é uma ótima alternativa para quem busca essa experiência de Turismo na Amazônia. No roteiro da Braziliando, cocriado com a comunidade, os viajantes dormem na casa de uma família e passam alguns dias imersos na floresta, vivenciando o dia-a-dia local e descobrindo a Amazônia com os nativos. Para saber mais e fazer sua reserva, é só clicar aqui.
  • Local HostelSe busca uma hospedagem jovem e econômica na cidade de Manaus, localizada próxima do porto, do Mercado Adolpho Lisboa, do Teatro Amazonas e de outras atividades do centro histórico, recomendamos o Local Hostel Manaus. Mais informações: contato@localhostel.com.br
  • Hotéis de selva: Para quem busca uma vivência na floresta com mais conforto e de alto padrão, os hotéis de selva podem ser uma ótima opção. Contudo, busque estabelecimentos que se importam com o ecossistema, que contratam mão-de-obra local e que buscam integração com a natureza. Afinal, você não quer que a sua visita impacte negativamente o destino.

O que fazer

  • Passar alguns dias na floresta, em uma comunidade tradicional: a Amazônia é uma região incrível e poder vivenciá-la junto aos moradores locais, conhecendo a sua cultura e estilo de vida, certamente fará desta uma experiência única e especial. 
  • Conhecer o centro histórico de Manaus: Não deixe de se encantar com as cores e sabores do Mercado Adolpho Lisboa, de conhecer a  Praça São Sebastião e fazer uma visita guiada pelo Teatro Amazonas. Para uma experiência mais rica e completa, super recomendamos um walking tour com um local que conhece cada cantinho, feitos e fatos da região, e um pub crawl noturno para beber uns drinks e petiscos típicos (é só chamar que passamos nosso contatinho: discover@braziliando.com). 
  • Praias fluviais: Existem algumas praias de rio próximas que super valem a pena a visita como a Praia de Ponta Negra e a Praia da Lua. A Praia da Lua foi considerada a melhor praia de Manaus e só pode ser visitada de barco, o trajeto costuma custar cerca de R$10 saindo da Marina do Davi. Não deixe visitar o incrível Museu do Seringal, que fica pela região, onde você vai conhecer como era o Amazonas no tempo da produção da borracha.
  • Conhecer a fauna e flora amazônica: se você não tiver tempo para passar alguns dias na floresta, pode ter um gostinho da fauna e da flora local no MUSA (Museu da Amazônia) e no INPA (Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia).

Onde comer em Manaus

  • Tambaqui de Banda: Comida simples e acessível. Recomendamos o peixão com algum dos sucos que são deliciosos. 
  • Caxiri: Uma boa escolha para uma experiência gastronômica mais requintada com pratos únicos da culinária local. Não deixe de provar também um dos drinks feitos com produtos típicos da região.

Quanto tempo ficar

Se estiver com o tempo mais curto, recomendamos um roteiro de 1 semana de Turismo na Amazônia: cerca de 4 noites na floresta e 2 noites em Manaus. Mas se tiver mais tempo disponível, você pode passar mais dias imerso em uma comunidade local (confira nosso roteiro de 6 noites), estender sua estada na capital manauara e ainda dar um pulo em Presidente Figueiredo para conhecer as famosas cachoeiras da região.

Conta pra gente nos comentários o que mais você gostaria de saber sobre a Amazônia e até o próximo post 😉

Turismo de Base Comunitária: protagonismo de comunidades locais e viagens sustentáveis

Como vimos no post anterior, o Turismo de Base Comunitária ou TBC é uma das formas de praticar o Turismo Sustentável enquanto se está viajando. Vamos falar um pouco mais sobre? 

O que é Turismo de Base Comunitária?

O TBC é uma forma de fazer turismo na qual a comunidade local é protagonista da experiência. Os comunitários recebem os viajantes em suas casas e organizam atividades para mostrar o dia-a-dia e a cultura dos moradores. Além disso, tem como pilar a sustentabilidade (sociocultural, econômica e ambiental). 

É realizado principalmente em comunidades tradicionais, ou seja, grupos que têm uma cultura diferente da predominante na sociedade e se reconhecem dessa forma. Alguns exemplos são as populações caiçaras, ribeirinhas, indígenas e quilombolas.

Benefícios para o viajante e para a comunidade local

O viajante que escolhe esse tipo de vivência encontra uma experiência autêntica, longe da padronização do turismo de massa. A imersão em uma nova cultura e a troca verdadeira com os moradores locais proporcionam novos aprendizados, podendo transformar a visão de mundo de quem viaja. As comunidades locais, em sua maioria, têm grande respeito e cuidado com a natureza, logo são uma inspiração para que o viajante passe a ver sua relação com o meio ambiente de forma diferente em sua vida. Além disso, como são experiências feitas em pequenos grupos, permitem maior integração e menor impacto negativo nos locais visitados.

Anfitriã de Turismo de Base Comunitária na Amazônia
Juliana, anfitriã dos roteiros de Turismo de Base Comunitária na Amazônia.

Para as comunidades, além de gerar renda, o turismo sustentável promove a valorização da cultura local podendo inclusive fortalecer o senso de identidade do grupo. Também é uma forma de dar visibilidade a essas culturas para que tenham mais voz e respeito em nossa sociedade. 

O Turismo de Base Comunitária é uma solução para a prática de um turismo mais consciente e autêntico, além de promover o desenvolvimento sustentável das comunidades tradicionais e um turismo mais humano.  

Exemplos de TBC no Brasil

Um exemplo de Turismo de Base Comunitária no Brasil são as vivências em comunidades indígenas, que vem ganhando espaço principalmente no turismo na Amazônia. Cada vez mais os viajantes buscam formas mais verdadeiras e sustentáveis de conhecer a maior floresta tropical do mundo. 

A Braziliando promove experiências de TBC co-criadas com uma comunidade ribeirinha e indígena de uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável próxima de Manaus. Nela os viajantes se hospedam na casa de uma família e fazem diversas atividades com os locais para conhecerem mais da sua cultura e se conectarem com a natureza. Você pode buscar mais informações aqui.

Turismo comunitário no exterior

Não só no Brasil você encontra experiências autênticas, que envolvem as populações locais e se importam com o impacto ambiental. A Ana e a Tereza, sócias da Braziliando, já embarcaram, por exemplo, em uma experiência genuína no sul da ilha Baru, em Cartagena, promovida pelo a Taroa Adventures. Nessa vivência, elas provaram a comida típica local, ouviram as histórias e lendas dos comunitários enquanto caminhavam pelo vilarejo e conheceram uma parte diferente e inexplorada das lindas praias colombianas.
 A Ana teve a oportunidade também de conhecer a sede da Local Alike na Tailândia, que promove experiências de Turismo de Base Comunitária e Turismo Responsável na região. 

E aí, onde você gostaria de viver uma experiência dessas? Conta pra gente nos comentários! 

Turismo sustentável: um guia para o viajante consciente

Nesse post vamos falar um pouco sobre os efeitos negativos do turismo de massa, a importância do Turismo Sustentável e algumas dicas para ser um viajante mais consciente em qualquer lugar do mundo. Bora? 

Os problemas do turismo de massa

Sabemos que viajar é tudo de bom, né?! As viagens nos dão a possibilidade de conhecer novos lugares, pessoas e visões de mundo. Passamos dias idealizando aquela viagem especial, que nos traz uma satisfação enorme e mais energia para levar a vida. Mas você já parou para pensar no impacto da sua viagem de férias no destino? 

O turismo se tornou uma atividade realizada em alta escala e esse turismo de massa muitas vezes traz efeitos negativos, afetando a biodiversidade e os aspectos culturais e sociais da comunidade local. Isso acontece porque produtos padronizados para ampla comercialização geralmente não são pensados de forma responsável. Por exemplo, passeios para pontos turísticos naturais como recifes de corais, se realizados em larga escala de forma irresponsável, podem acabar com o ecossistema da região. Assim como a construção de resorts pode prejudicar a economia local e o grande número de visitantes em um destino pode acarretar em perdas culturais significativas. 

A notícia boa é que existem práticas e alternativas para viajar de forma consciente. Assim como em outros segmentos da nossa sociedade, o turismo também está passando por uma transição. Vamos falar sobre turismo sustentável?

O que é turismo sustentável?

Bom, podemos chamá-lo também de turismo consciente ou turismo responsável. É uma prática do turismo na qual as atividades propostas levam em consideração as necessidades socioeconômicas da região e se preocupam em preservar a biodiversidade, além de valorizar aspectos culturais. 

viagem turismo sustentavel amazonia
Luísa do blog Janelas Abertas em viagem de TBC com a Braziliando. Foto por Vivek Gandhi.

Existem alguns conceitos que já trabalham com essa visão como o Turismo de Base Comunitária (TBC), o Volunturismo e o ecoturismo. São formas mais conscientes de viajar, onde as experiências acabam sendo muito mais ricas e autênticas, algo que somente um contato verdadeiro e respeitoso com o local pode proporcionar. Nada de bater ponto em pontos turísticos lotados, que muitas vezes não dizem nada sobre a realidade local e nem trazem benefícios para aquela comunidade.

O turismo sustentável no Brasil vem crescendo principalmente através de iniciativas como a Braziliando e outras agências que promovem experiências junto a comunidades no país inteiro. Além disso, blogueiras de viagem e influenciadores digitais que abordam o tema também já estão ligados na importância de falar sobre formas de ser um viajante mais consciente. Indicamos os blogs Janelas Abertas e Viajar Verde para quem tiver interesse em ler mais sobre. Ambos promovem iniciativas e práticas de turismo sustentável em viagens no Brasil e no mundo.

Dicas para ser um viajante mais consciente em qualquer lugar:

  • Priorize hospedagens próximas dos lugares que deseja visitar e voos direto para minimizar as emissões de carbono.
  • Consuma produtos locais e leve artesanato típico para casa, assim você valoriza a cultura e gera renda para a comunidade local.
  • Respeite os animais e evite passeios que prometem interação com eles. 
  • Tenha sempre uma garrafa reutilizável e uma ecobag para evitar o uso de descartáveis.
  • Em passeios na natureza lembre-se de levar para casa apenas o seu lixo e nunca levar pedras, sementes, folhas e afins para evitar desequilíbrios na biodiversidade.
  • Respeite os moradores e costumes locais – podemos aprender muito com outras visões de mundo sem tentar impor a nossa.
  • Pesquise muito, sempre escolha experiências e passeios promovidos por empresas responsáveis.

Esperamos que as dicas sejam úteis, tragam reflexão e novas possibilidades de transformação através da experiência incrível que é se jogar no mundo. Tem mais dicas ou conhece alguma iniciativa legal que promova o turismo sustentável? Conta pra gente nos comentários!

Nos vemos na próxima trip 🙂 

Blog Braziliando: turismo sustentável e viagens transformadoras

Sou a Ana, fundadora da Braziliando: um negócio de impacto que tem como missão promover transformações positivas através de experiências de viagem autênticas e responsáveis.

Nossa história na Amazônia teve início em uma viagem que fiz com a Tereza, minha mãe e agora sócia na empresa. Profundamente mexida com a realidade local e buscando proporcionar experiências mais verdadeiras, veio a motivação para organizar a primeira expedição da Braziliando na região.

Nosso objetivo com as vivências de ecoturismo de base comunitária e volunturismo é apoiar comunidades tradicionais através da geração de renda e da valorização cultural e contribuir para que os viajantes mudem sua visão de mundo ao se conectarem com a natureza e com pessoas de contextos sociais e culturais diferentes.

Temos o impacto socioambiental positivo como norte e buscamos atuar de forma cuidadosa, responsável e transparente. Fico feliz que tenha encontrado a gente!

Criamos esse blog para falar sobre temas como o turismo sustentável e consumo consciente, compartilhar dicas de viagem e dos destinos, valorizar a cultura indígena e a sabedoria dos povos tradicionais, contar as novidades da Braziliando e… o que mais você quer saber? Conta pra gente nos comentários!

Espero que embarque nessa jornada com a Braziliando.