Retrospectiva 2022

Bora conferir como foi o último ano na Braziliando?! Sustentabilidade, inclusão, Amazônia Baré, impacto socioambiental e conexão, com certeza, foram palavras chave na nossa Retrospectiva. Venha conferir!

Presença

Mesmo com o isolamento social, não deixamos de promover encontros e trocas autênticas – no formato online. Mas em 2022, com a reestruturação da vivência presencial Amazônia Baré, o novo protocolo de biossegurança e, principalmente, a vacinação em massa da população, quem buscava se conectar com a Amazônia e com a cultura indígena sentiu mais segurança para embarcar nessa imersão amazônica.

Em 2022, promovemos lindas conexões através desta vivência única e a floresta foi abrigo para amigos, casais, famílias e viajantes solos. Para partilhar esses momentos, o povo Baré alimentava alma, corpo e mente de cada viajante.

Então, novos encontros foram acontecendo e viajantes se fizeram presentes na rotina e na vida da comunidade. Aprenderam sobre a cultura Baré, viram (e puderam levar pra casa) a arte sustentável realizada pelo grupo do artesanato, provaram as delícias da culinária local, navegaram de canoa, caminharam pela floresta e muito mais.

Em contrapartida, a comunidade compartilhou seus saberes, mostrou sua realidade e criou novos laços. Além disso, a renda gerada pelo turismo se distribuiu pela comunidade — desde a família anfitriã que hospedou viajantes até pescadores que proveram o jantar. 

Quem não está diretamente envolvido com o turismo e até pessoas de outras comunidades também se beneficiaram com nossas experiências de turismo responsável.

Pra sentir um pouco da energia Baré

A viajante Monique Tamiozo compartilhou em nossas redes sociais um pouco sobre sua imersão na vivência Amazônia Baré. Ela mostrou como é o dia a dia na aldeia, contou um pouco sobre as atividades culturais e na natureza do roteiro, apresentou alguns dos comunitários e registrou momentos especiais da sua viagem.

Sustentabilidade

Ana e Tereza Taranto, sócias na Braziliando, recebendo o Prêmio WTM Turismo Responsável

Prêmios

Neste ano, ganhamos importantes prêmios do turismo sustentável. Começamos o ano recebendo o Prêmio Turismo Responsável, organizado pela WTM Latin America – um evento que “traz o mundo para a América Latina e promove a América Latina para o mundo”.

A cerimônia aconteceu em São Paulo e a Braziliando também foi convidada a participar do painel “Turismo Responsável, Inovação e Tecnologia”. 

E as surpresas continuaram com a conquista do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade que, nesta edição, falou sobre resiliência e buscou reconhecer iniciativas que superaram os desafios enfrentados pelo setor frente à pandemia da COVID-19.

Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

Dá pra ver a premiação na íntegra no YouTube ou apenas o anúncio da Conexão Baré como vencedora! 

E teve mais! Entre as iniciativas premiadas, a Braziliando foi escolhida pelo júri para ganhar um a gravação de um vídeo sobre a Conexão Baré, patrocinado pelo Ministério do Turismo.

101 sustainable ideas for better tourism

A Braziliando também foi eleita como uma das 101 idéias sustentáveis para um turismo melhor (101 sustainable ideas for better tourism).

O catálogo foi criado pela organização que gerencia o turismo de Gotemburgo (Suécia), cidade que ganhou vários prêmios como o destino turístico mais sustentável do mundo. 

Para entrar nessa lista, a Göteborg & Co considera como critérios inovação, criatividade e o cumprimento de um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.
Legal, né?! Pra conferir, basta clicar neste link.

Impacto à potência

A Braziliando foi selecionada também dentre diversas iniciativas de impacto de todo o Brasil, como negócios sociais, ONGs e OSCs, para receber uma consultoria de avaliação de impacto, realizada pela WeFlow e por profissionais do banco de talentos da empresa.


O programa Impacto à Potência teve duração de 3 meses e a equipe de talentos responsável pela avaliação da Braziliando contou com profissionais de diversas áreas de estudo e atuação. O resultado foi um relatório que mensurou nosso impacto até o momento e apresentou os diferenciais do nosso trabalho e pontos de melhoria para aprimorarmos nossa atuação e seguirmos promovendo transformações positivas.

Semana Verde

A “Black Friday” é um evento mundialmente conhecido pelos descontos tentadores e pela disputa por produtos. Mas essa data acaba trazendo vários problemas sociais e para o meio ambiente, como o consumo desenfreado e irresponsável e o aumento da poluição. 

Seguindo o movimento contrário, o Green Friday, decidimos questionar a lógica consumista e propor uma responsabilidade maior com o que e de quem compramos. O resultado foi a  #SemanaVerdeBraziliando, onde convidamos quem nos segue a refletir sobre essa data e adotar hábitos de consumo mais sustentáveis.

Inclusão

Abril Indígena

Em celebração ao Dia dos Povos Indígenas convidamos uma jovem indígena da comunidade onde acontecem algumas das vivências da Braziliando para assumir nosso perfil do Instagram. 

O objetivo foi mostrar um pouco do cotidiano de uma aldeia amazônica e algumas curiosidades sobre a floresta e suas belezas, dessa forma, seguindo com nosso propósito de valorização cultural.

Curso de capacitação para atendimento à pessoa com deficiência

Em dezembro, Tereza Taranto (Tê), sócia da Ana, participou do curso de capacitação sobre atendimento a pessoas com deficiência.

Uma ação do Projeto Mais Acesso, coordenado pela profa. Dra. Markléa da Cunha Ferst, o curso foi realizado de forma híbrida, com duas aulas presenciais na Escola de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (ESAT) e transmitidas ao vivo pelo canal do Mais Acesso no YouTube.Você pode assistir às gravações 🙂

Os participantes tiveram a oportunidade de conhecer percepções de pessoas com deficiência em suas experiências do dia a dia e no turismo, como neste Bate-papo Acessível: Percepções da pessoa surda na atividade turística.  

Mais um passo da Braziliando no caminho para tornar suas iniciativas mais inclusivas.

Trocando saberes

Palestras

Em 2022, fomos mais uma vez convidadas por um negócio de impacto parceiro das Filipinas que atua na área de educação para darmos palestras para estudantes de diferentes partes do globo. 

Ana Taranto, fundadora da Braziliando, compartilhou um pouco da sua trajetória e atuação com impacto socioambiental para alunos da Estice, escola de comércio internacional da Université Catholique de Lille, na França. 

E, logo depois, foi a vez dos estudantes da Singapore University of Social Sciences, universidade de Singapura, conhecerem a Braziliando e receberem uma mentoria e feedback sobre suas ideias para apoiarem comunidades da América Latina.

Cruzando fronteiras

Expedição experimental no Mato Grosso

Em setembro, a Tê, anciã da família Braziliando, partiu pro Mato Grosso pra participar de uma das expedições experimentais de um projeto, desenvolvido pela The Nature Conservancy (TNC) e pela Operação Amazônia Nativa (OPAN) em  parceria com a FUNAI e com a consultoria da GARUPA, que visa a estruturar e regularizar o turismo de base comunitária nas Terras Indígenas Haliti-Paresi naquele estado do Centro-Oeste.

A experiência foi rica em partilhas, tanto com os indígenas como entre os integrantes do grupo de viajantes e facilitadores e, mais uma vez, ficou a constatação de como o turismo, entre outros impactos positivos possíveis, pode servir para valorizar e resgatar culturas tradicionais, pois, como diz o cacique Rony, ¨mostrar aos outros como somos nos obriga à manutenção e às vezes ao reaprendizado de nosso legado cultural¨. 

Leia aqui o que o Túlio Paniago, jornalista que acompanhou as expedições conta sobre elas.

Após visitar 4 aldeias, foi a hora de partir pra Chapada dos Guimarães e conhecer um pouco mais do cerrado, o segundo maior bioma brasileiro. Trilhas, banho de cachoeira, grutas, comidas e bebidas regionais, assistir à apresentação da dança do siriri por um grupo local e com bônus – acompanhar uma aula de siriri em uma escola e ainda (tentar) tocar o ganzá e o mocho.  

E, mais uma vez, o Universo providenciou a conexão da Tê com pessoas alinhadas com o propósito da Braziliando. Sinergia. E ela voltou cheia de ideias 🙂

Conservação e valorização andam juntas

Por aqui, valorizamos cada troca e ensinamento que nossas conexões nos proporcionam. Acreditamos que o caminho para um mundo sustentável está mais próximo da ancestralidade e do reencontro com a natureza.

VOA!

A Vivência Online de Aprendizado (VOA!) levou mentorias para 4 comunidades tradicionais sobre o uso das redes sociais. Os encontros aconteceram de forma remota e contamos com o apoio da jornalista e criadora do blog de viagens Janelas Abertas, Luísa Ferreira, para realizar a criação de um plano de ação para cada comunidade, baseado nas demandas na área de comunicação de cada uma delas.

Acreditamos que gerar oportunidades para os povos da floresta pode trazer autonomia e empoderamento, sendo eles mesmos os protagonistas de suas histórias e ecoando suas vozes pelas redes.

Conexão Baré

Realizamos a Conexão Baré para estudantes de duas escolas de Florença, na Itália. Os adolescentes tiveram a oportunidade de conhecer mais sobre a realidade ribeirinha amazônica, bebendo diretamente na fonte dos saberes tradicionais com nossos parceiros indígenas, que conduzem as atividades desta vivência online. História, artesanato, espiritualidade, gastronomia… A cultura do povo Baré mais uma vez cruzando o oceano!

Viajantes virtuais da Conexão Baré — estudantes italianos e, ao fundo, equipe BRDO.

Já na Conexão Baré (Re)Nascimento, buscamos valorizar a cultura tradicional e o saber ancestral feminino ♀️. A medicina da floresta evidencia a potente biodiversidade amazônica, enquanto a arte do partejar, guardada pela anciã do povo Baré, mostra a importância do saber tradicional indígena para a vida na floresta.

Vanice, Chico, Baixinho, D. Ugulina e Marcivania.

Também fizemos uma live sobre “A importância da sustentabilidade na pauta da criação dos nossos filhos

E que os novos ventos nos levem ainda mais longe

Temos muitas novidades para 2023! Para o próximo ano estamos estruturando novas vivências presenciais, que dialogam com práticas de autoconhecimento e cuidado com o corpo e a mente.

Pra quem já compartilhou que deseja viver uma imersão em grupo na Amazônia: o próximo ano promete muitas surpresas para vocês! 

E, pra quem quer se conectar de forma autêntica e contribuir para levar impacto positivo no local, seja ele onde for, também estamos ouvindo vocês! 😉

Turismo sustentável na Amazônia: vantagens e como ir

O turismo sustentável pode trazer vários benefícios para a população local. Além da preocupação com o meio ambiente, quem viaja buscando a sustentabilidade também contribui para a geração de renda e melhoria da qualidade de vida das pessoas. Veja abaixo algumas vantagens que separamos e descubra como fazer turismo sustentável na Amazônia!

Trocas autênticas

O turismo sustentável valoriza o cotidiano, a simplicidade e a vizinhança. A cultura local é protagonista e é vivida intimamente, através da troca e da partilha. Respeitando o tempo da comunidade e criando conexões verdadeiras, o viajante participa do dia a dia local.

Almoço com a comunidade (Fotógrafa: Marcivania Melo, indígena Baré)

Na experiência Amazônia Baré, você se hospeda na casa de uma família local e vivencia por alguns dias a rotina na floresta. Você aprende com as tradições e saberes originários, prova a deliciosa culinária Baré e acompanha processos e práticas cotidianas e ancestrais.

Na Conexão Baré, os viajantes virtuais conhecem a cultura Baré através de uma plataforma de videochamada e podem interagir diretamente com os comunitários. A imersão começa dias antes do “embarque”, com diversos materiais que preparam (e, às vezes, introduzem) os participantes sobre aspectos da vida indígena.

Dividir para multiplicar

Artesanato
Artesanato da comunidade Nova Esperança (Fotógrafa: Nathália Segato)

O turismo sustentável também distribui a renda e as oportunidades. Além de beneficiar quem está diretamente envolvido com a atividade, moradores que produzem outros produtos e realizam outras práticas também podem colher os frutos do turismo.

Na vivência presencial, por exemplo, a rede de apoio é bem diversa. Comunitários que cultivam o roçado, que pescam ou que produzem artefatos advindos da floresta, também participam dos ganhos, assim como pessoas de outras comunidades, como os pilotos de lancha e outros produtores. O grupo de artesãos local se beneficia com a chegada de viajantes, através da realização de oficinas e da exposição das peças.

Mantendo a floresta em pé

A preocupação ambiental também é uma característica do turismo sustentável. Sendo assim, o lixo produzido na viagem e a exploração animal, que muitas vezes serve de entretenimento no turismo convencional, são fatores importantes a serem levados em conta.

Quelônios (bichos de casco) sobre a grama
Quelônios do projeto de monitoramento da biodiversidade realizado na comunidade (Fotógrafa: Tereza Taranto)

A Braziliando assumiu um compromisso com a World Animal Protection de proteção ao bem estar animal, não vendendo, oferecendo ou promovendo empreendimentos ou atividades em que os animais silvestres
são disponibilizados para o entretenimento dos turistas.

Além disso, na viagem online há uma redução da emissão de gás carbônico (já que não envolve deslocamento aéreo nem terrestre) e dos resíduos. Já na Amazônia Baré, o viajante recebe um manual com orientações de como ser mais responsável em sua vivência amazônica.

Coletividade

A sustentabilidade é uma preocupação coletiva. Portanto, estabelecer parcerias no turismo é fundamental para ampliarmos e facilitarmos o acesso aos seus benefícios. Por exemplo, nas parcerias com outras instituições e agências, é essencial que elas estejam alinhadas com o propósito da comunidade e comprometidas em ter uma atuação responsável.

Expedição “Amazoniando”, realizada em outubro de 2017.

A Braziliando tem um compromisso em gerar transformações positivas. Por isso, acreditamos que é possível quebrar estereótipos e promover, através do turismo, a mudança que queremos ver no mundo. Saiba mais sobre nossa atuação aqui.

Valorização cultural

Prosa na Casa de Farinha
Processo de produção da farinha de mandioca – Fotógrafa: Nathália Segato

O turismo sustentável evidencia a cultura local e procura contribuir para sua preservação. Logo, a comunidade deve ser protagonista e o turismo um aliado na melhoria da sua qualidade de vida.

Agora você já sabe as vantagens de praticar o turismo de forma sustentável. Embarque nas vivências da Braziliando e gere oportunidades para comunidades indígenas e ribeirinhas, valorize suas culturas e preserve o meio ambiente, através do turismo sustentável na Amazônia.

Viagem Online Conexão Baré, com indígenas da Amazônia

Turismo Responsável: finalistas do WTM Latin America

É com o coração cheio de alegria que estamos aqui para compartilhar uma feliz notícia! A Braziliando é finalista do prêmio de turismo responsável WTM Latin America Responsible Tourism Awards. Das 14 finalistas, a Braziliando é uma das 3 iniciativas brasileiras, ao lado de empresas de diferentes países.

O prêmio

O Prêmio de Turismo Responsável tem o objetivo de descobrir, reconhecer e promover exemplos de boas práticas em Turismo Responsável em nosso continente e faz parte da família de prêmios Global Responsible Tourism Awards. Desde 2019, a premiação acontece em 4 regiões do mundo e o vencedor de cada uma segue para competir na Premiação Global. 

Um fruto da pandemia

Desenvolvemos a viagem online Conexão Baré (Baré Connection) em 2020 com o objetivo de seguir apoiando nossos parceiros indígenas e promovendo experiências autênticas para a Amazônia no momento crítico da COVID-19. Foi através dessa vivência pioneira que estamos concorrendo na categoria Sustaining Employees and Communities through the Pandemic (Apoio a funcionários e comunidades durante a pandemia).

Indígena da etnia Baré, da Amazônia, guiando os viajantes virtuais durante a viagem online Conexão Baré, da Braziliando.
Joarlison Garrido, indígena da etnia Baré, guiando os viajantes virtuais durante a viagem online.

Braziliando no WTM Latin America

Estaremos na cerimônia de premiação do WTM no dia 06/04/2022, quarta, às 18h00. Fomos também convidadas a participar do painel “Turismo Responsável, Inovação e Tecnologia” no dia 05/04/2022, terça, às 18h00, onde compartilharemos mais sobre a nossa história e essa experiência inovadora de turismo virtual.

O World Travel Market (WTM) oferece eventos mundiais ao setor de turismo e o da América Latina é considerado o principal da região. A feira acontece em São Paulo e reúne 15 mil profissionais de viagens e turismo.

A realização de um sonho

Ana Taranto, fundadora da Braziliando, disse que desde que começou a atuar na Amazônia desenvolvendo viagens com foco na sustentabilidade, a premiação (ainda distante na época) se tornou um sonho. 

Tereza Taranto, sócia da Ana, compartilhou: “estamos muito felizes com o reconhecimento do júri internacional que selecionou as finalistas e por estarmos ao lado de empresas grandes e pequenas, como a nossa, que, através do turismo responsável, buscam a valorização cultural, o desenvolvimento socioeconômico e a preservação ambiental dos lugares onde atuam”.

Ana e Tereza Taranto, empreendedoras sociais e sócias da agência de turismo sustentável Braziliando.
Ana e Tereza Taranto, sócias da Braziliando.
Diretrizes do turismo sustentável

Diretrizes do turismo sustentável: entenda!

Frequentemente, quando viajamos, respeitamos um regulamento sem realmente entender a sua origem e as razões de sua existência. Algumas regras podem parecer triviais, mas são responsáveis por garantir o respeito e a sustentabilidade, que há muito estão ameaçados. Essas precauções são ainda mais importantes em visitas a comunidades tradicionais, como a indígena e ribeirinha que recebe os viajantes da BraziliandoConfira a seguir 7 diretrizes do turismo sustentável e comunitário, explicadas e dissecadas, para que não sejam mais desprezadas!

1. Não interaja com animais silvestres 🐍🐊🦥

Para uma viagem ser sustentável, é necessário que possa se reproduzir ao longo do tempo sem afetar o ecossistema em que é realizada. Uma viagem responsável exige a responsabilidade do operador turístico, que não deve envolver o viajante em atividades prejudiciais à natureza, e também do viajante, que deve se privar de alimentar ou acariciar animais, por exemplo.

2. Valorize a produção local 🇧🇷

Prefira adquirir suas lembranças de viagem diretamente de artesãos locais. Desta forma, não só você parte com uma recordação única, especial e cheia de significado, mas também ajuda a comunidade, mantendo viva a sua arte e fortalecendo sua economia.

Artesanato
Artesanato da aldeia Baré parceira da Braziliando. Foto por Nathália Segato.

3. Não faça uso de álcool, cigarro e outros intoxicantes 🚭

Entorpecentes podem interferir na sua experiência e prejudicar a comunidade, uma vez que atos inconscientes podem gerar acidentes e consequências indesejadas. Além disso, as drogas podem ter um impacto negativo e um efeito de longo prazo, gerando vícios e maus comportamentos entre os comunitários.

4. Opte por viagens mais longas e viaje em pequenos grupos 🛤️

É preciso tempo para se conectar com as pessoas, conhecer de verdade o destino e mergulhar em uma nova realidade. Portanto, para ter uma vivência autêntica, se planeje para uma viagem com tempo suficiente para uma real imersão. Além disso, prefira viajar em pequenos grupos para garantir uma maior conexão com outros viajantes e com os anfitriões. Essa atitude também ajuda a mitigar os impactos negativos do turismo de massa.

5. Peça permissão antes de bater fotos 📸📸📸

Se coloque no lugar do outro! Provavelmente você se sentiria mais confortável dando seu consentimento antes de ser fotografado e preferiria conhecer a pessoa por trás da câmera e saber o que pretende fazer com a foto antes de dar sua permissão, certo? Por isso, além de sempre pedir autorização (seja para um adulto ou para os pais das crianças), aproveite a oportunidade para se apresentar e conhecer melhor a pessoa que quer retratar.

6. Vista-se apropriadamente 👚

Entenda como as pessoas costumam se vestir no destino para não desrespeitar os costumes locais e criar barreiras e conflitos. Se estiver se aventurando na floresta, por exemplo, primeiramente opte por praticidade em vez de estilo. Além disso, tenha em mente que a simplicidade é uma marca de respeito e humildade.

Cristiano, morador da comunidade, conduzindo viajantes na trilha pela floresta. Foto por Nathália Segato.

7. Respeite a cultura e as tradições locais 🌚🌝

Sabendo que as necessidades e o estilo de vida são diferentes, esteja disposto a adotar o modo de vida local, mesmo que isso signifique se privar de coisas que fazem parte da sua sociedade. Além disso, evite comparações diretas ou indiretas entre as duas sociedades. Se gabar do seu estilo de vida pode gerar inveja e frustração. Da mesma forma, elogiar excessivamente a vida dos habitantes locais pode ser reducionista e desconsiderar os problemas e desafios sociais inerentes à região.

Aí estão algumas diretrizes do turismo sustentável e informações que podem ajudá-lo a entender melhor o porquê de alguns códigos de conduta! 

De um modo geral, o turismo comunitário e sustentável visa a criar uma experiência autêntica, diferente das formas tradicionais do turismo de massa. Não mais turistas, mas viajantes, aqueles que procuram uma experiência como a da Braziliando entendem a importância de se afastar do etnocentrismo

Afinal, preferimos viajar de mente e coração abertos rumo ao diferente e ao desconhecido!